Dicas de Materiais para se usar em Maquetes

número whats
MAQUETE, POR THIERRY PETRIS

Maquete construída por Thierry Petris

As maquetes possuem grande importância em estudos volumétricos e espaciais para qualquer projeto e, sabemos ser quase impossível de fugir da construção deste tipo de protótipo, sobretudo, para apresentarmos aos professores a representação final de um projeto.

As maquetes em sua versão eletrônica nos proporcionam uma visão bastante realística do projeto. No entanto, as maquetes físicas tem como mérito promoverem uma maior proximidade arquiteto x projeto, principalmente na etapa de estudo, porque ao se pensar nas possibilidades com as próprias mãos, há uma grande canalização de processo intuitivo.

Maquete eletrônica, por Stefan Maier.

Maquete eletrônica por Stefan Maier.

Para as maquetes de estudo, em geral não há necessidade de se usar materiais específicos. Dá-se preferência aos que já foram utilizados antes, restos de isopor, papelão, papéis em geral, palitos, arames e alfinetes para sustentá-los. Já um material muito interessante para escalas bem pequenas, uma praça, por exemplo, é a massinha de modelar.

Lembrando que muitas vezes a própria maquete de estudos acompanha desenhos e perspectivas finais de um projeto, suprimindo a necessidade de uma maquete específica para representação.

Maquete de estudo e croqui, por Stefan Maier, relativos à maquete eletrônica acima.

Maquete de estudo e croqui por Stefan Maier – relativos à maquete eletrônica acima.

 

Maquete de estudo com massinha na escala 1:500, acervo pessoal de Portal Arquitetônico.

Maquete de estudo com massinha na escala 1:500. Fonte: Portal Arquitetônico (acervo pessoal)

Para as maquetes representativas, dependendo do grau de realismo e detalhamento que se busca, temos uma gama de materiais à disposição e a criatividade vale muito. Segue um guia do que costuma ser utilizado em geral nas faculdades de arquitetura e urbanismo:

Paredes e estruturas em geral

Papel paraná é o mais utilizado. É um papelão bastante homogêneo, e que não esfarela ao se cortar com estilete. Existem diferentes espessuras: 2mm, 4mm… A espessura a se escolher depende da escala em que se trabalha. E papel chumbo é na verdade um paraná ainda mais rígido.

Fonte: www.courocal.com.br.

Fonte: Courocal

As paredes da seguinte maquete são feitas com papel paraná, pintadas em parte por canetinhas hidrocor (marcadores) e o telhado é feito com papel ondulado.

Por Carlos Augusto Pereira.

Por Carlos Augusto Pereira.

Outros materiais que costumam ser utilizados são o papel triplex (brilhante frente e verso), papel pluma, isopor e madeira.

Maquete em papel triplex, fonte: thaysabarros.blogspot.com.

Maquete em papel triplex. Fonte: thaysabarros.blogspot.com.

número whats

O papel pluma é na verdade uma placa de isopor laminado, revestido com papel nas duas faces. É mais fácil de cortar que o papel paraná e não esfarela como o isopor comum. Por outro lado, é um material mais caro. No caso do papel pluma e do isopor, usa-se colas para isopor e nunca adesivo instantâneo, porque este derrete tais materiais. Palitos de dente e alfinetes são ótimos para firmar.

Fonte: natalyaandrade.blogspot.com.

Fonte: natalyaandrade.blogspot.com.

 

A madeira (em geral usa-se madeira balsa) tem um aspecto muito interessante a meu ver, e é tranquilo cortar a madeira balsa com estilete. Usa-se cola de madeira e adesivo instantâneo, sendo a madeira também mais cara que o papel paraná.

Por Felipe Carbonera.

Por Felipe Carbonera.

 

Maquetes em madeira balsa, acervo pessoal de Portal Arquitetônico.

Maquetes em madeira balsa. Fonte: Portal Arquitetônico (acervo pessoal).

número whats

Estrutura

Para maquetes específicas de estruturas, é comum usar ripas de sobras de madeira, palitos de churrasco ou mesmo espaguete (cola-se vários uns aos outros). É interessante que se pode construir estruturas em de espaguete que suportam até mais de 100kg. Fios em geral podem ser usados para representar cabos. Para unir costuma-se usar cola de madeira, adesivo universal, cola quente ou fita adesiva.

Maquete estrutural com ripas de madeira, acervo pessoal de Portal Arquitetônico.

Maquete estrutural com ripas de madeira, acervo pessoal de Portal Arquitetônico.

 

Maquete estrutural com palitos de churrasco, acervo pessoal.

Maquete estrutural com palitos de churrasco. Portal Arquitetônico – acervo pessoal.

 

Representação de tesouras para telhado em palito de churrasco, fonte: igorcastrocavalcante.blogspot.com.

Representação de tesouras para telhado em palito de churrasco. Fonte: igorcastrocavalcante.blogspot.com.

 

Estruturas em espaguete. Fonte: UOL Educação

Estruturas em espaguete. Fonte: UOL Educação

 

Estrutura com madeira e fios, fonte:https://picasaweb.google.com/114062067012710896855.

Estrutura com madeira e fios, Fonte: Google Picasa (https://picasaweb.google.com/114062067012710896855)

número whats

Vegetação

As árvores podem ser representadas de maneira mais abstrata, afinal o objetivo maior geralmente é evidenciar o elemento construído. Para o tronco pode-se usar galhinhos naturais secos, palitos de sorvete, de churrasco. Para as copas têm-se várias opções, que podem ser tingidas com tinta acrílica para tecido. Galhinhos com ou sem folhas também podem representar toda a árvore.

Papel

Acervo pessoal Portal Arquitetônico.

Acervo pessoal Portal Arquitetônico.

Algodão

Acervo pessoal Portal Arquitetônico.

Acervo pessoal Portal Arquitetônico.

Espuma (bloco de espuma esculpido)

Fonte :http://studiopaolaroma.blogspot.com.br/2013/02/maquete.html.

Fonte :http://studiopaolaroma.blogspot.com.br/2013/02/maquete.html.

número whats

Fibra de Lã

Por Camila Abad.

Por Camila Abad.

Tecido – Aqueles com trama como étamine, entretela e mesmo linho, são mais fáceis de desfiar com estilete para dar o efeito de folhas.

Acervo pessoal e portalarquitetonico.com.br.

Acervo pessoal e portalarquitetonico.com.br.

Esponja e cobre – É a opção mais realista e mais trabalhosa.

Fonte portalarquitetonico.com.br.

Fonte portalarquitetonico.com.br.

número whats Para o gramado costuma-se usar serragem ou areia coloridas, erva mate. A própria base da maquete também pode simplesmente ser pintada de verde. Para representar água, a areia também é uma boa opção, assim como gel, sabão em pó ou papel azul. Uma lâmina de acetato por cima do papel dá um efeito espelhado.

Gramado de serragem, árvores de algodão, água de sabão em pó, acervo pessoal.

Gramado de serragem, árvores de algodão, água de sabão em pó, acervo pessoal.

Areia colorida representando água e gramados, acervo pessoal.

Areia colorida representando água e gramados, acervo pessoal.

Piscina com papel e acetato, por Carlos Augusto Pereira.

Piscina com papel e acetato, por Carlos Augusto Pereira.

O acetato geralmente é vendido em folhas de transparência para retroprojetor, e além do uso para representar água, é ótimo para representar vidros. Plásticos em geral como os de pastas transparentes também podem ser usados. O cuidado maior que se deve ter é não usar adesivo instantâneo para colar os vidros porque mancha. O melhor é se usar um pouco de cola quente ou posicionar os vidros de modo que as partes manchadas por cola não apareçam.

Fonte: papelariajussara.com.

Fonte: papelariajussara.com.

número whats

Terreno

Quando há a necessidade de representar o terreno no qual o projeto está inserido, este quase sempre não é totalmente plano, e logo, é necessário representar suas curvas de nível (diferentes alturas). Costuma-se usar isopor ou E.V.A. por serem mais fáceis de recortar, ou então papel paraná, madeira. A escala utilizada é importante para que a espessura de uma camada do material utilizado represente uma altura real compatível.

Curvas de nível em isopor, acervo pessoal.

Curvas de nível em isopor, acervo pessoal.

Curvas em E.V.A., fonte: cartografiaescolar.wordpress.com.

Curvas em E.V.A., fonte: cartografiaescolar.wordpress.com.

 

Curvas em madeira, fonte: delas.ig.com.br.

Curvas em madeira, fonte: delas.ig.com.br.

Enfim, este post é apenas um pouco sobre o universo das maquetes. Acredito que a partir daqui cada um tenha muito a acrescentar. Inclusive, quem tiver alguma dica interessante por favor comentar!

número whats

Fonte de conteúdo e imagens: Portal Arquitetônico

 

Sobre 44 arquitetura

A 44 Arquitetura é um escritório particular pertencente aos sócios Cássio Wetterich e Luiz Carlos Lara localizado no interior do estado de São Paulo. Ficou conhecido no Brasil através de sua página no Facebook a qual se tornou uma das mais populares no segmento devido a seu conteúdo atualizado e diversificado relacionados com o as áreas de Arquitetura, Urbanismo, Design e Engenharia!
PRMEIO BANNER BLOG